Pesquisar este blog

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Babá folguista

Quando a gente tem uma carreira e a jornada tripla (mãe, esposa, amiga), a vida fica complicada.
E por mais legal que meu filho seja, tem lugares que não apropriados para ele, como almoço de negócios, lojas de material de construção, salão de beleza, etc...

Assim, sempre que isso acontece, uso o serviço de babá folguista.

Desenvolvi, após muita experiência, um modelo que tem sido bom para minha família.

Antigamente contratava babá para o final de semana inteiro, mas meu marido reclamava que a babá que dorme tirava a privacidade (e eu concordo. E ainda trabalho tanto que me sinto culpada em ficar pouco tempo com meu filhote.

Então contrato babás para trabalharem de sexta - 20h até domingo bem cedo - 7h.
São poucas horas, mas que me permitem ter 2 noites de folga e o sábado quase todo para resolver coisas.
As vezes quero só dormir :)

O modelo tem funcionado porque procuro pessoas mais velhas (acima de 30 anos), que são mais responsáveis e com mais iniciativa.
E, preferencialmente, busco professoras das creches municipais. 
O salário como folguista complementa a renda e é bem menos cansativo. E elas ainda descansam domingo.

Como é um serviço com data de validade, deixo isso bem claro. Não passo mais do que 6 meses com elas. 

Deixo claro algumas coisas:
1) Quando receber visitas com filhos, elas devem cuidar deles (ou pelo menos ajudar)
2) Quando visitamos amigos com filhos, elas também devem ajudar.
3) Quando fazemos festas, elas devem preservar a rotina da criança (banho, refeições, hora de dormir).
4) Quando viajamos, elas devem se adaptar ao local, e procurar ajudar.
5) Só trabalho com pessoas sorridentes. Cara feia para mim é pedido de demissão.
6) Uniforme é bom para todo mundo.

Sou generosa sempre que posso, dou presentes, gorjetas, etc e gosto de ser bem tratada.
Desse jeito todo mundo é feliz. E sempre que encerramos nossos contratos continuamos numa boa e sei que posso contar com elas sempre que precisar, principalmente naquelas emergências de última hora.





Nenhum comentário:

Postar um comentário