Pesquisar este blog

segunda-feira, 19 de julho de 2010

A Procura de um Berçário em SP – Parte 2

Continuando a história do berçário, tenho que explicar os tipos de berçários, que eu mesma inventei para separar as escolas:

1 – Hospitalares: tem um monte de berços e as atividades são ligadas ao que as enfermeiras fazem no hospital: trocar fraldas, dar mamadeira, dar banho, colocar para dormir, etc. Estão disponíveis nos horários mais confortáveis: de 7 às 20, não emendam feriados, nem tem férias. As assitentes (pelo menos uma) tem formação em enfermagem e fazem questão de dizer que isso é um diferencial.

2 – Casa de família: são aqueles que parecem a casa da avó, da tia ou coisas do gênero. Tem quintal, terra, árvores frutíferas, cozinhas grandes e normalmente a instalação é um casa adaptada para ser berçário. Tem poucas assistentes cuidando dos bebês, e quase nenhuma tem formação na área.

3 – Escola: o chão é um tatame, tem um monte de brinquedos, espelhos e o foco é na aprendizagem. Tem os mesmos horários que as escolas, tem muitos feriados, várias assistentes (e pelo menos uma com formação em pedagogia)  e uma proposta pedagógica (que dá trabalho para os pais), tipo mandar fotos, frutas, fantasiar o bebê, essas coisas.

4 – Blendeds: são aqueles que misturam dois ou mais tipos acima.

Depois de definir esses conceitos, vistei TODAS os berçarios da Vila Mariana, perto da minha casa. (Veja a lista completa: Escolas e Berçarios na Vila Mariana)k4

Se eu morasse no Morumbi, com certeza o Léo estudaria no PrimeTime. É o meu sonho de consumo! Lindo, chic, mas fora da minha realizade no momento. Eu precisava de um berçario onde a babá pudesse ir a pé, em qualquer emergência, ou nos dias do rodízio do carro.

Cheia de dúvidas, conversei com várias pessoas. Algumas mães, no meu prédio, me ajudaram a eliminar vários berçários e me contaram coisas bem negativas, tipo: “lá parece um quartel general, elas chegam a gritar com os bebês” ou “minha filha ficou tão traumatizada que eu tinha até que evitar passar naquela rua, senão ela chorava”.

Sei que existem muitos lugares bons e profissionais sérios, mas também tenho que dizer que o maior medo de uma mãe são os amadores, aqueles que não tem a menor idéia de como um bebê deve ser tratado.

E, assim, o tempo foi passando e a minha babá marcou a data da partida: dia 16 de junho.

Finalmente escolhi uma escola, onde vários bebês do meu prédio estudam, mas não tinha vaga. Fiquei frustada !

Conversando com uma colega de trabalho, ela me falou que era para eu escolher uma ESCOLA, porque dentro de 4 meses o Léo vai ter um ano. Com essa idade ele não é mais cliente do berçario e sim daquelas escolinhas de educação infantil.

E de todos os lugares que eu conheci, a que mais gostei, com cara de escola categoria 3, foi a Escola Viva Vida, onde eu matriculei o Léo. O site é meio feio, um tanto bagunçado, mas o lugar é legal.

O primeiro dia na escola foi dia 01 de junho de 2010. Um dia memorável! Ele estava lindo, parecendo um rapazinho. E espero ter feito a escolha certa!

7 comentários:

  1. Ola, gostei das suas dicas!
    Tb moro na Vl Mariana e estou a procura de uma escolinha para minha filha que completara 1 ano em janeiro.
    Abs
    Carla

    ResponderExcluir
  2. Oi. Nós também estamos procurando um berçário na região da Vila Mariana. Um dos sites que aparecem de cara na pesquisa do Google é o seu. Gostamos das dicas! Gostaríamos de saber qual sua opinião atual sobre o VivaVida. Estamos naquela fase terrível de decidir sobre o berçário. Está muito difícil. Se você puder nos responder, nosso e-mail é hccarv@yahoo.com.br
    Obrigado!

    ResponderExcluir
  3. Hamilton,
    Eu adoro o VivaVida e meu filho também!
    O problema é que a escola tem fila de espera :)
    Espero que você tenha conseguido um bom berçario!

    ResponderExcluir
  4. Lilly,
    Estou procurando Mini Maternal para meu filho que hoje tem 10 meses, mas pretendo colocá-lo quando ele tiver 18 meses, então preciso me planejar para entrar nas filas de espera e gostaria de saber se vc pode me ajudar dividindo suas experiências desde que seu filho entrou na escolinha.
    Queria saber se vcs continuam gostando do VivaVida, se vc se lembra qual foram as escolinhas que vcs eliminaram pq era muito ruins e qual foi o lugar que vc tinha escolhido e não tinha vaga.
    Muito Obrigada!!
    Renata

    ResponderExcluir
  5. Oi Renata! Olha, minha filha de 1 ano passou um mês no Carandá Viva Vida ( o Viva Vida se uniu ao Carandá no ano passado), Ela caiu, rasgou a língua e ninguém da escola me ligou, a Lizi ( professora) me deu a noticia de um pequeno tombo na hora da saída, minha pequena estava limpinha, sem nenhuma marca de sangue nas roupas que retornaram para casa, todas as cuidadoras me olhando sorrindo como se estivesse tudo bem. Minha bebê teve que ser levada por mim ao hospital no fim do dia, ao sair da escola, foi internada no Sírio Libanes, tomou anestegia geral e 3 pontos na língua. Ninguém da escola CARANDA VIVAVIDA ligou para saber como ela estava, e eu não tinha qualquer informação para dar aos médicos. FOI O PIOR DIA DA MINHA VIDA!!!! De coração, procure um lugar mais preparado para seu pequeno.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gracieli, quero conversar com vc. Matriculei o meu pequeno este ano (2014) e passei por uma ocorrência bem semelhante, com menor gravidade, mas fiquei muito ressabiada.

      Excluir
  6. Quais escolas vc ouviu falar que gritam com as crianças??? Gostaria de saber

    ResponderExcluir