Pesquisar este blog

quinta-feira, 11 de março de 2010

O parto

Finalmente, vou contar os detalhes do "grande dia".
No dia 01 de outubro de 2009 comecei a me sentir muito pesada. Era ruim me locomover  com aquela barriga toda. Meu obstetra me recomendou repouso e me deu um atestado de 15 dias. Na opinião dele, o bebê iria nascer no dia 20. Eu marquei a cesárea para o dia 18, um domingo.

Como eu disse em outro post, eu li muito sobre a gravidez, parto etc, para me preparar. Quando escolhi a cesarea, todo mundo ficou me olhando de cara feia, como se eu tivesse obrigação de ter parto normal. Mas vamos definir: o que é normal? Um mulher que fica morrendo de dor por 10 horas, espernado os 10 cm de dilatação, e na hora do parto recebe um corte que liga a vagina com o ânus, isso para mim, não é normal.
Do fundo do meu coração eu admiro as corajosas que passaram por isso.

Mas, voltando ao assunto, estava traquila aguardando a chegada do bebê. Meu obstetra disse apenas, que o bebê não podia nascer no feriado do dia 12 porque ele estaria fora da cidade.

No dia 07 de outubro, deixei o repouso de lado e fui ao Tribunal levar a documentação para a licença maternidade, Lá, saiu um secreção estranha da minha vagina. O nome disso é tampão mucoso. É claro que fui correndo para o hospital ver se estava tudo bem. Meu médico disse que era normal, que o parto poderia ocorrer em até duas semanas. Fui para casa traquila.

No dia 09, passei o dia sentindo cólicas, parecidas com a da mestruação, e fiquei em dúvida: será que eram contrações? Como eu nunca tive uma, não sabia qual era a diferença. Ao telefone, meu médico me disse que quando eu tivesse uma contração eu saberia!

Sábado, dia 10 de outubro, às 6h da manhã, acordei com uma dor horrível. Acordei meu marido e disse o que tinha sentido: uma espécie de pontada, muito dolorida, que queimava. Ele falou para eu ligar para o médico. Quando eu levantei da cama, minha bolsa estourou. Parecia que eu tinha feito xixi. Foi um banho! Liguei para o obstetra e graças a Deus ele estava em São Paulo, fazendo um parto.
Tomei banho, sem lavar o cabelo (não pode estar olhado para fazer cesárea), pequei as malas e fui para a maternidade.

A cada contração eu gritava de dor. Chequei com 3 cm de dilatação,e me mantive determinada a fazer a cesárea. Como eu não estava esperando ter o Leo tão cedo, meu cabelo estava sem pintar, com a raiz toda branca, eu estava sem depilar e sem fazer as unhas, Tudo isso ia ser feito no sábado. Mas paciência, fazer o quê? A dor é tão grande que tudo isso perde a importância.

Às 9h fui para a sala de cirurgia e 30 minutos depois o Leo nasceu, com 3,125 kg e 58 cm. Ainda bem que eu resolvi fazer cesárea porque o cordão umbilical estava enrolado no pescoço. De qualquer forma ia ser uma cesárea. A diferença foi que nós, eu e o bebê, sofremos menos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário